Lá se pensam, cá se fazem.

LX Mush Room

Café, Cogumelos, Lisboa

“Queria uma bica por favor” é uma frase que a maioria dos lisboetas diz mais do que uma vez por dia. Ir tomar uma “bica” é um ato de convívio, de obtenção de energia e de prazer. Na realidade 80% dos Portugueses bebe café diariamente sendo que 73% preferem as bicas tomadas nos café e restaurantes. Em média por ano, o consumo de café em Portugal ronda os 4,7 kg por pessoa/ano. Ou seja, existem muitas toneladas de borras de café deitadas ao lixo, sem nenhuma valorização ou aproveitamento. Atendendo a que Lisboa se está a tornar numa cidade mundialmente conhecida, que Portugal começa a ser referenciado como um dos exemplos a nível mundial sobre as suas políticas em prol do ambiente e que os desafios económicos futuros irão estar associados à melhor utilização dos recursos naturais, então faz todo o sentido que Lisboa dê o exemplo ao nível da dinamização de projetos que se insiram na economia verde e inclusiva. É neste contexto que surge o Lx Mush Room. Um conceito que ambiciona colocar Lisboa como uma cidade exemplo de como os amantes de café podem também contribuir para a economia circular e para o desenvolvimento sustentável. O que nos propomos fazer não é inventar a roda mas sim aplicar e adaptar ideias que já estão a ser implementadas noutros países à realidade portuguesa. Queremos reproduzir a experiência da Fábrica de Cogumelos Urbana já existente em Exeter no Reino Unido. Em Plena Cidade: • Recolhem as borras de café • Produzem cogumelos que são vendidos para supermercados e restaurantes • Vendem adubo de borras de café para jardins urbanos Para realizarmos este projeto iremos contactar com organizações sociais de bairros sociais onde haja dificuldades de emprego, e treinar e formar pessoas que iriam recolher as borras de café em recipientes próprios e em bicicleta ou veículos elétricos. Iremos também procurar um parceiro que nos ceda um veículo elétrico para este fim. Pretendemos ser uma atividade económica e social neutral em carbono. Desta forma acreditamos que conseguiremos contribuir com inovação e inclusão social para a criação de uma atividade económica viável e inserida no contexto da economia verde!

Paulo Silva Curto

Visionário
Luanda, Angola

Tania Oliveira

Comunicador
Lisboa, Portugal

Sofia Santos

Facilitador
Lisboa, Portugal

Mafalda Garcia Garcia

Facilitador
Lisboa, Portugal

Comentários