Lá se pensam, cá se fazem.

Sem obstáculos

Inclusão, acessibilidade, informação

“Segundo o Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência, no nosso país, cerca de 9% da população tem uma deficiência. Em pleno século XXI, os edifícios, a via pública e os transportes portugueses continuam com muitos obstáculos que dificultam a vida às pessoas com mobilidade condicionada” (fonte: Proteste, DECO). As novas tecnologias digitais, impulsionadas pelo crescimento extraordinário da internet permitem que cada vez mais, uma maior quantidade de informação se torne acessível a um crescente número de pessoas. No entanto, analisando o universo de websites, blogues ou fóruns, verifica-se que o espaço de internet dedicado a pessoas com algum tipo de limitação é extremamente reduzido. Alguns fóruns possuem a secção “Acessibilidade”, e alguns sites de aconselhamento de viagens indicam algumas informações relativamente a acessibilidades mas na sua grande maioria este tipo de informação é reduzido ou inexistente. É com o intuito de ajudar a minimizar o impacto provocado pelos obstáculos que dificultam a vida às pessoas com algum tipo de limitação que surge este projecto. Acreditamos que face às imensas potencialidades do uso da internet e porque existe esta lacuna informativa, há margem para fazer mais trabalho no domínio das acessibilidades. O que propomos consiste em fazer um levantamento do conjunto de infraestruturas, equipamentos e serviços existentes nos diversos espaços de utilização pública (como teatros, museus, restaurantes, etc.) que depois será disponibilizado online, funcionando também como um repositório das acessibilidades existentes num dado local. Pretendemos deste modo contribuir para uma maior integração na sociedade e melhoria de qualidade de vida de todas as pessoas que sejam portadoras de algum tipo de limitação, nomeadamente mobilidade reduzida ou baixa-visão. Numa primeira vertente o projecto envolverá a criação de um espaço online com uma forte componente de aconselhamento de lazer/utilidades para pessoas com mobilidade reduzida ou baixa-visão. Significa isto que o espaço irá listar, indicar e descrever locais cujas condições de acessibilidade sejam particularmente bem adaptadas para essas pessoas. Estes locais serão previamente inspeccionados por uma equipa de trabalho própria, pelo que a informação será concreta e rigorosa. Por exemplo, um teatro que contenha um lugar de estacionamento para deficientes, muito próximo da entrada, bem como rampas de acesso e elevadores, estará habilitado a uma boa pontuação; a existência de bandas reflectoras nos degraus ou possibilidade de solicitar o apoio de um acompanhante / guia será também objecto de uma boa pontuação. O portal conterá múltiplas funcionalidades, entre as quais a possibilidade de os membros fornecerem feedback acerca destes pontos de interesse, contribuindo assim para a formação de uma comunidade forte, que enriquece o espaço com base nas suas próprias experiências.

Rita Pimentel

Visionário
Lisboa, Portugal

Diogo Lemos

Facilitador
Lisboa, Portugal

Ana Neves

Comunicador
Birmingham, Reino Unido

Comentários