Lá se pensam, cá se fazem.

Alfama à Lupa

Teatro, inclusão, transformação

Partimos daqui: “o teatro pode ser uma arma de libertação, de transformação social e educativa” (Augusto Boal, 1980). Esta Ideia traz espaço para o Encontro. O encontro de atores e de espectadores. Mas de espectadores que também podem falar, que também podem agir, atuar, transformar. Somos um coletivo de pessoas que cruzam as suas diferentes áreas, como a psicologia, artes plásticas e animação socio-cultural com esta grande vontade: que o teatro chegue a mais pessoas e que possa ser um meio para pensar e experimentar sobre questões pessoais e sociais. Para além da natural componente artística, a nossa ideia parte desta vontade de olhar para o teatro como uma força de intervenção socio-educativa. Neste trabalho, congregamos áreas do teatro do oprimido, sociodrama, teatro espontâneo e improviso, psicologia, entre outras. Começámos a desenvolver este trabalho há cerca de 2 anos no seio de Alfama. Sentimos que as pessoas estão bastante “desligadas”, encolhidas na sua caixa-casa, implicando-se muito pouco (ou nada) na vida do bairro. Os vizinhos não se unem para resolver problemas e quando falam sobre as questões que os preocupam, fazem-no de uma forma muitas vezes despropositada. Ao longo dos anos, tem sido provado que teatro de intervenção pode ser uma forma poderosa de chegar até às pessoas, de levantar a discussão saudável em torno de questões com pertinência social, que faça sentido pensar em conjunto. Queremos que as pessoas se vejam, que falem sobre si, sobre o bairro, que falem umas com as outras, fomentando a vida do bairro e o espírito crítico e interventivo. Queremos envolver as pessoas a partir das suas casas, dos seus estabelecimentos comerciais, criar espaços de encontro, reflexão e experimentação através do teatro. Esta é uma forma artística que não deixa ninguém indiferente, que estimula o público a encontrar estratégias mais adequadas, saudáveis e positivas perante os problemas postos em discussão. É possível falar, pensar e AGIR; experimentar novas estratégias de acção. O nosso sonho tem vindo a ser concretizado de uma forma ainda muito pontual e com a grande vontade que temos de intervir através do teatro. Temos já realizado algumas peças interativas, com várias cenas com intervenção do público e reflexão final. Queremos que este projeto possa ter acções consistentes e continuadas, queremos que as pessoas cheguem até ao teatro, mas também que o teatro chegue até elas.

Daniela Leal

Visionário
Lisboa, Portugal

Filipa Teixeira

Facilitador
Lisboa, Portugal

Elisa Paulino

Facilitador
Casablanca, Marrocos

João Pedro Amaro

Facilitador
Lisboa, Portugal

Ana Cardoso

Comunicador
Lisboa, Portugal

Comentários