Lá se pensam, cá se fazem.

Cidades com Asas

cidades sustentáveis, cidadania activa. aprendizado social

A ideia é constituir uma plataforma de cidadania activa e um compromisso para a promoção de comunidades mais sustentáveis,tendo como elemento central um jardim de borboletasnum Centro Social de um bairro de Lisboa. Esta plataforma, estruturada como um projecto-piloto, é composta por um jardim de borboletas, um borboletário e um viveiro de plantas que poderá ser posteriormente replicada em escolas e em outras, instituições públicas e privadas. Para além disso poderá ser uma forma de recuperação de espaços degradados nas cidades através do envolvimento de grupos de cidadãos na transformação destas áreas em jardins para atrair diferentes espécies de borboletas. A aprendizagem social que decorre no desenvolvimento nestas actividades estimula a reflexão sobre o ecossistema urbano,promovendo e estimulando a cidadania activa. Este projecto é inovador porque promove junto dos cidadãos vários desafios experimentais e ambientais tornando as cidades mais sustentáveis através da recuperação e dinamização de espaços, da promoção da aprendizagem social que leva a uma maior consciência ambiental e da criação de pontes intergeracionais através das actividades educativas desenvolvidas neste espaço. Para além disso, também permitirá estimular a curiosidade científica através de actividadescom formação e com material didáctico e de divulgação do conhecimento, tendo por base um guião de actividades e um manual dos procedimentos para a manutenção da plataforma ambiental (viveiro, jardim e borboletário). O projectopretende interagir com as escolas da região, ampliando e diversificando os espaços de aprendizagem e aproximando os alunos da comunidade e vice-versa. O contacto das crianças e jovens com os processos biológicoscomo é a eclosão de uma borboleta adulta ou o nascimento de uma lagarta por exemplo, podem despertar a curiosidade científica e um crescente interesse para as temáticas ecológicas. As visitas deste projecto por parte das escolas e da comunidadevalorizarão e darão sentido ao trabalho dos grupos envolvidos com o borboletário, criando uma espiral positiva e necessária para a sustentabilidade desta iniciativa. Este projecto assume dois objectivos essenciais, a criação de uma plataforma de educação e sensibilização ambiental composta por vários espaços: um pequeno borboletário com as espécies nativas de borboletas, um viveiro de plantas e um jardim de borboletas exterior; e a formação de novas competências junto da comunidade. Para além disso, esta plataforma constitui uminstrumento da promoção da intergeracionalidadee um recurso de inclusão social. Sob a perspectiva ambiental parte-se do princípio de que as cidades devem possuir áreas verdes sustentáveis que possam atrair e albergar a fauna mais comum da região mas em vez disso, muitas áreas urbanas possuem grandes jardins compostos por vegetação exótica que requer grandes gastos de água e manutenção e, que são pouco atractivas para as espécies de insectos autóctones. Tendo em conta, os princípios de cidades sustentáveis, dever-se-ia promover no ajardinamento de espaços a inclusão de vegetação tipicamente mediterrânea perfeitamente adaptada às condicionantes ambientais locais e, dever-se-ia seleccionar plantas hospedeiras das borboletas entre outras espécies. Neste contexto,a plataforma proposta incentivará uma reflexão sobre a sustentabilidade do meio urbano pois poderá ser um laboratório natural no meio do jardim.Assim sendo poderá promover a observação das diferentes fases destes insectos de uma forma mais acessível aos cidadãos, contribuindo assim para alterar a sua percepção sobre o ecossistema urbano e consequentemente sobre as suas práticas e seus valores em relação ao mesmo.

Leandro Augusto Ferreira Vaz P lepinh

Visionário
Santana de Parnaiba, Brasil

Ana Sofia Rodrigues Leitão

Facilitador
Lisboa, Portugal

Filomena Gerardo

Facilitador
Lisboa, Portugal

Comentários